Por Carlos Giordano Jr.

Divirta-se com Artigos, Crônicas, Poesias e Poemas, Gastronomia e Administração.
Direitos autorais reservados

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Comprometimento


No dicionário COMPROMETER significa expor alguém em risco. Constituir uma obrigação a alguém, tornar alguém responsável por algo ou mesmo contrair um compromisso.

Temos discutido muito a respeito desse termo simples, porém exageradamente importante na nossa empresa: O COMPROMETIMENTO que nada mais é do que o ato de comprometer-se. Acredito que isso se apóia fundamentalmente em três pilares:

1. Comprometer-se com o seu trabalho e seu conseqüente resultado.

2. Comprometer-se com o seu futuro e dos seus colegas de trabalho.

3. Comprometer-se com os valores e objetivos de sua empresa.

O seu comprometimento para o desempenho e fortalecimento de um trabalho eficaz, no alcance das metas, valores e objetivos da empresa está diretamente ligado ao seu próprio crescimento profissional e conseqüente colheita daquilo que plantou. Sem o seu compromisso realizado, nada se modifica a não ser para pior no cenário de suas próprias propostas.

A resposta simples que gostaria de ouvir é para uma indagação também simples: - Poderei eu colher aquilo que não plantei?

Ora, ora, todos juntos de mãos dadas sabemos que não. Porém em efeito contrário, o Brasil passa pelo seu melhor momento histórico, onde estamos colhendo aquilo que um dia semeamos. E, tudo isso independente de Governos, FMIs ou quaisquer tipos de ajudas externas ao nosso desejo patriótico de sermos um país de gigantes.

Nosso celeiro está abastecido agora, mas e o nosso futuro, estará garantido sem comprometimento com o meu presente?

A competitividade nos negócios motivada pela necessidade de realização de melhores indicadores e resultados, sobrevive ainda aos atropelos e desequilíbrios gerados pela falta de comprometimento de cada um de nós.

Por exemplo, um frentista pode acreditar ser mais interessante varrer o pátio e deixá-lo super limpo em vez de atender um cliente que está precisando abastecer seu veículo. Um motorista pode achar mais interessante cuidar de seu caminhão do que de sua própria saúde, a recepcionista pode estar mais preocupada com o vaso de flores sem água do que atender a um cliente ao telefone com presteza. O gerente preocupado tão somente com o resultado não dá a devida importância às pessoas que o proporcionarão através do seu suor e esforço. O diretor poderá incorrer no risco de valorizar sobremaneira a imagem da empresa, desprezando o motivo pela qual ela mesmo existe. E assim, poderemos experimentar exemplos crassos dos nossos governantes, dentro da nossa família ou até mesmo da nossa igreja, onde o pároco invoca a sociedade a doar seus bens e na escada da Matriz o pobre dorme ao relento sem ser visto por ele.

Então, afinal, como posso comprometer-me e porque devo fazê-lo?

Talvez poderíamos tomar como exemplos pessoas do povo como Jesus, que um dia resolveu comprometer-se com a Verdade de Seu Pai e por ela morreu tentando vivê-la, deixando-nos uma mensagem linda de amor e de fé (pelo menos para quem tiver coragem de comprometer-se com ela)

Posso comprometer-me assumindo para mim mesmo a responsabilidade daquilo que faço. Honrando meu nome, minha proposta e minha própria consciência. Comprometendo-me sempre que puder em fazer bem feito a coisa de forma correta. Posso também me comprometer aceitando meus erros e assumindo-os perante meus colegas ou lideranças, fazendo com que o respeito e a verdade acabem consagrando e fortalecendo minha própria identidade profissional.

Devo comprometer-me para experimentar a vida como ela é, com seus altos e baixos, alegrias e tristezas, realizações e fracassos. Vivendo minha vida em sua plenitude estarei comprometendo-me com ela, e dela poderei extrair excepcionais frutos de felicidade, caso os queira provar. Alguns ainda estarão ácidos mas outros nem tanto e me regozijarei com eles por que os experimentei em todas suas essências. Fartei-me de felicidade comprometendo-me com minha própria existência.

Não consigo, e daí?

Daí você poderá vestir seu manto de invisibilidade e ficar intocável sob a égide de seu egoísmo, experimentando tão somente reclamar ou criticar as experiências vividas pelos outros. Ninguém irá lhe incomodar. Talvez apenas a sua consciência.

Ninguém tá nem aí, porque tenho que me comprometer e botar o meu na reta?

Para ser alguém, há que se carregar primeiramente o seu próprio peso, sentir o seu próprio suor emanado de sua carne cansada, terá que ter seu próprio prazer e experimentar a dor de tê-la sentido, terá que ser aquilo que reflete de si mesmo, não se confundindo com a imagem de ninguém, escalando indevidamente a escada do sucesso pelos degraus dos fracassos deixados por outrem.

Afinal de contas, comprometimento é envolver-se com as questões ao seu redor, envolver-se com seu ambiente de trabalho e com a satisfação de estar integrado nele, interagindo-se, comunicando-se com seus colegas de forma respeitosa, valorizando sua empresa e seus propósitos, respeitando os seus próprios valores e dos seus colegas de trabalho, intensificando-se em seus esforços na busca de melhores resultados e garantindo sua própria satisfação pessoal perenizando desta forma a nossa Reputação perante à sociedade.

Nenhum comentário: