Por Carlos Giordano Jr.

Divirta-se com Artigos, Crônicas, Poesias e Poemas, Gastronomia e Administração.
Direitos autorais reservados

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Se sim, sim

Verão de 2006
Por Carlos Giordano Jr.

Se sim eu dou, senão eu parto
E reparto o gosto amargo do meu ego
Que sente e ressente pelos excessos
De razão daquilo que nunca foi

Se sim, eu vou, senão ficarei por aqui
Por onde se abre o caminho
Que a luz tão clara deixa pista
Dos dias que ainda raiarão em festa

Se sim eu faço, senão quiçá
Realizar o plano de querer talvez
Alegre vida de quem não quis
Depender de outrem para ser feliz

Se sim eu rio, senão somente sinto
O desejo de seguir contente
Na esperança que ameniza o choro
Sobre as pedras que não pisaria

Se sim eu amo, senão também
Coração que canta sem dor
Contempla os frutos doces da estação
Que de floradas lindas resultou

Se sim, eu experimento, senão refugo
O suor da lida que presenteia o dia
Com a força do destino que se faz
Mudar o pranto, trazendo a paz

Se sim, eu sigo, senão rebato
Vou de volta, seguro sob Seu olhar
Lutar os dias para ganhar as noites
E dormir o sono feliz de um ganhador

Amanhã, espero poder acordar e,
De novo lembrar de agradecer
O fato de ter podido
Simplesmente
Viver

Nenhum comentário: