Por Carlos Giordano Jr.

Divirta-se com Artigos, Crônicas, Poesias e Poemas, Gastronomia e Administração.
Direitos autorais reservados

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Dieta do saco cheio

Uma balança em que de um lado, está a nossa alimentação e do outro, os necessários exercícios físicos.

Em equilíbrio constante, essa balança nos presenteará com longevidade e melhor qualidade de vida. 
Só que no mesmo lado da alimentação está o prazer e do outro lado, junto com os exercícios, está a saúde.

Ora, se conseguirmos entender que os desejosos prazeres à mesa podem ser lapidados, encontrando-os não somente na quantidade, mas na qualidade daquilo que ingerimos, e ainda, considerando que fazer exercícios regularmente libera-se uma quantidade de endorfinas que nos acalma, descansa e também nos dá prazer, essa prática ficaria bem mais doce e saborosa.

Devemos considerar que não existe e não existirá nenhuma dieta capaz de promover a harmonia entre os prazeres da mesa e a saúde.
Vivemos na época da fartura, e imaginamos que não existirá mais o futuro.
Falta-nos sabedoria para vivermos melhor.

Coma produtos da natureza, de preferência crus, assim como Deus os criou.
Exercite-se um pouco no seu trabalho e beba muita água.

Afinal, arroz, feijão. cozidos na banha de porco, bife com ovos fritos e salada nunca engordaram ninguém e enxada também não.

Pense nisso e vá carpir um pouco. 
Seu comilão folgado.
Ah...Leve água!

Nenhum comentário: