Por Carlos Giordano Jr.

Divirta-se com Artigos, Crônicas, Poesias e Poemas, Gastronomia e Administração.
Direitos autorais reservados

domingo, 20 de novembro de 2016

21 de Abril - Tiradentes

Joaquim José da Silva Xavier
UM PENSAMENTO 

Um cara que se rebelou contra a tirania portuguesa que assolava a elite mineira com a cobrança do "quinto", os 20% sobre a arrecadação das minas de ouro na segunda metade do século XVIII, século iluminista, que fomentou ideias filosóficas que mudaram o mundo.
Nessa época, a Revolução Francesa pôs fim à Idade Moderna com o lema "Liberdade, Igualdade e Fraternidade" iniciando a era Contemporânea.

Tiradentes foi mais um que lutou contra a Coroa Portuguesa. Houveram muitos outros, como os baianos também o fizeram na Conjuração Baiana ou Revolta do Alfaiate, aplicando a mesma estratégia mineira.

Mas o que aprender com isso?

A "gota" de Joaquim foi a cobrança do quinhão chamado de "Derrama", que era uma forma de arrecadação complementar do "quinto", que consistia em prisão do "homem de bem" que não garantisse 100 arrobas de ouro por ano à Coroa. (1500 kg) - Imagine só!

Se o Alferes Joaquim estivesse vivo hoje ele seguramente defenderia a ideia revolucionária de se cobrar o "DERRAMA" das instituições bancárias brasileiras que num período de recessão, em que as famílias perdem patrimônio a cada dia, os bancos registram lucros recordes em 2015.

Itaú com a bagatela de R$23 bilhões, Bradesco com R$17 bilhões, BB R$14 bilhões, Caixa R$ 7 bilhões e Santander R$ 6 bilhões.

Coisa de R$ 100 bilhões se somados aos demais agentes financeiros. Isso significa que com um Brasil de 79 milhões de população economicamente ativa, cada brasileiro que trabalha ofereceu (de lucro) R$ 1.265,00 ao sistema bancário brasileiro em 2015. Fora impostos para Dilma da Coroa Vermelha.

Essa DERRAMA de dinheirama faria muita diferença se voltasse a circular na economia brasileira.

Sabe como? 
Não perca sua cabeça como ele.

Estude.

Tiradentes era ignorante, mas seu pensamento estava correto.

Curta seu feriado enquanto sua dívida está sendo atualizada com juros compostos.

Só no Brasil!

Por Carlos Giordano

Nenhum comentário: