Por Carlos Giordano Jr.

Divirta-se com Artigos, Crônicas, Poesias e Poemas, Gastronomia e Administração.
Direitos autorais reservados

domingo, 20 de novembro de 2016

XV de Novembro

A Proclamação da República 

No dia 15 de novembro de 1889, o Marechal Deodoro da Fonseca, com o apoio dos republicanos, demitiu o Conselho de Ministros e seu presidente. Na noite deste mesmo dia, o marechal assinou o manifesto proclamando a República no Brasil e instalando um governo provisório.

Após 67 anos, a monarquia chegava ao fim. No dia 18 de novembro, D.Pedro II e a família imperial partiam rumo à Europa. 

Tinha início a República Brasileira com o Marechal Deodoro da Fonseca assumindo provisoriamente o posto de presidente do Brasil. A partir de então, o pais seria governado por um presidente escolhido pelo povo através das eleições. 

Como teria sido a permanência da Monarquia no Brasil?

Talvez tivéssemos experimentado um progresso muito mais sustentável, como a Inglaterra, por exemplo. O Império brasileiro poderia ter se sustentado nos valores morais, éticos e tradicionais da coroa, considerando que Pedro II era um homem culto, estudioso das questões sociais, abolicionista contra toda uma sociedade escravagista, que considerava os escravos como direito de propriedade.

Dom Pedro II falava 17 idiomas fluentemente, e dedicou a sua vida à construção de uma sociedade justa para todos.

Viveu seus últimos anos no exílio, com ajuda financeira de amigos. Não fez fortuna, não roubou nada da Nação, mas ao contrário, teve seu sonho roubado.

Foi enterrado junto com um punhado de terra do Brasil, que levava nos bolsos, como seu último pedido.

E, por aqui, ainda falamos em democracia, onde o prefixo "demo" tomou um outro sentido.

Pobre povo!
Viva a Monarquia!
Deus salve a rainha!

Bom dia.

Nenhum comentário: